Sobre Reencarnar Como Slime – 10

720p: GoogleDrive | Anidex

Neste post eu vou abordar brevemente sobre algumas das terminologias de “Slime” e minha escolha na tradução delas. Fica aqui o “Continue lendo” para quem se interessar.

De uns episódios para cá, estávamos traduzindo “skills” para “habilidades” apesar de termos estabelecido manter “skills” em inglês quando falassem em inglês, pois fica claro no episódio 01 que “skills” e “habilidades” são coisas distintas. Nesse episódio, voltei a usar “skills”. Peço perdão pelo vacilo; arrumarei nos BDs.

Além disso, acho justo mencionar que optei por manter “kijin” em japonês. Por quê? Bem, se você buscar o significado de “kijin”, você encontrará “plural de oni” como resultado. Se você procurar o significado de “oni”, você encontrará “demônio” ou “ogro” como possíveis traduções. Porém, “demônios” e “ogros” são raças distintas de “oni”, tanto é que o episódio explica que “kijin” é uma raça que, raramente, surge dos “ogros”. Ou seja, resolvi tratar o termo “kijin” como o que é, ou seja, folclore japonês, e não o traduzi.

Tais informações me levam a lembrar de mencionar outro tópico importante, que é a diferença entre “mazoku”, “majin” e “akuma” no universo de Slime:

“Mazoku” significa que alguém tem descendência diabólica (de acordo com minha escolha de tradução a respeito do universo de Slime. Falo sobre os “diabos” mais a frente.). Portanto, “mazoku” pode se referir tanto aos monstros, quanto aos demônios (majin), quanto aos diabos (akuma). Sendo assim, a tradução do termo vai variar dependendo da situação. No BD eu vou adaptar toda ocorrência de “mazoku” pra “criatura”, mas, quando estava começando a traduzir a versão TV, eu não pensei nisso, e quero manter um padrão até o fim do TV.

“Majin” traduzimos como “demônio”. No universo de Slime, pode ser traduzido para algo como “povo diabólico”. Se refere a, literalmente, qualquer “mazoku” humanoide, como os ogros, os kijin ou, até mesmo, indivíduos como o Gelmudo.

Falar sobre os “akuma” pode contar como um spoiler pequeno, então leia sobre sua própria discrição. Resolvi traduzir “akuma” para “diabos”. Esse termo se refere a uma raça específica de seres que não possuem corpo físico, ou seja, são espíritos, assim como os anjos. Resumindo, os “akuma” seriam como os “demônios” são em religiões ocidentais. Porém, como eu já havia usado o termo “demônio” de forma mais genérica, para referir tanto aos “majin” quanto, às vezes, os “mazoku”, eu resolvi traduzir “akuma” para “diabos”, para evitar confusão. Por exemplo, alguém poderia achar que os “akuma” têm relação com os “Lorde Demônio”, mas não há relação alguma.

Aliás, penso também em trocar o termo “Lorde Demônio” por “Senhor das Trevas” quando fizer os BD por dois motivos: o primeiro é para evitar confusão, como citei acima. O segundo é que “Lorde Demônio” é uma tradução muito feia 😛 (Também não pensei nisso quando traduzi o termo pela primeira vez D:)

Se ainda sentirem alguma confusão sobre o que eu falei, vocês podem consultar a Wikia de Slime (em inglês).

Agradeço aos que leram este post até o final. Até mais.

Um comentário em “Sobre Reencarnar Como Slime – 10

Deixe uma resposta